Adriana Franciosi / Agencia RBS
Acampamento Farroupilha costuma atrair, em setembro, cerca de 1 milhão de pessoas no Parque HarmoniaAdriana Franciosi / Agencia RBS

A prefeitura de Porto Alegre ainda não bateu o martelo sobre autorização para o Acampamento Farroupilha — que, em anos anteriores, atraiu cerca de um milhão de pessoas ao Parque Harmonia. Mas o secretário municipal extraordinário de Enfrentamento ao Coronavírus da Capital, Bruno Miragem, adianta que acha improvável a realização de eventos com aglomeração em 2020.

— É certo que, se acontecer, não vai ser um evento com as mesmas características do que se dá por tradição. Em setembro, nós vamos continuar com medidas para evitar aglomerações. Qualquer decisão que for tomada no futuro vai ter que considerar isso — explica.

Atualmente, por decreto municipal, não podem ser realizados eventos na Capital. A evolução do coronavírus nos próximos meses é que vai determinar o futuro das tradicionais festividades da cidade — dados como o de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e números de pessoas contaminadas na cidade são avaliados pela prefeitura constantemente para determinar que atividades permitir ou restringir. Segundo Miragem, não é possível saber quando a curva de infectados na Capital vai começar a cair. Ele lembra que, nesta semana, índices apontaram a necessidade de reforçar a cautela — o número de pacientes com diagnóstico confirmado para covid-19 internados em UTIs tem batido recordes quase todos os dias.

O debate sobre a realização do Acampamento Farroupilha dentro de três meses foi lançado pelo colunista de GaúchaZH Daniel Scola. Nesta quinta-feira (11), em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade, o presidente da Comissão dos Festejos Farroupilhas e vice-presidente administrativo do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), César Oliveira, foi taxativo: a vida vem em primeiro lugar. Ele disse que “seria dificultoso, quase que impossível, acontecer um acampamento presencial”.

— Obviamente que todos os eventos que tiverem aglomeração, eles não são viáveis. Ainda mais este, que a gente sabe que é o maior evento da cidade de Porto Alegre — disse, acrescentando que nada está acima da autonomia do prefeito da Capital, onde o evento está assentado.

Nesta semana, foi definida a transferência, para 2021, do evento que marca o início das Festejos Farroupilhas. No ato, que correria em Canguçu, no sul do Estado, a chama crioula seria acesa.

Neste ano, segundo César, será feito um acendimento simbólico na sede do MTG, transmitido pela internet e reproduzido simultaneamente nas 30 regiões do movimento.

Questionado por GaúchaZH sobre a Semana Farroupilha, o prefeito Nelson Marchezan também falou em fazer algo “virtual” para não deixar passar batido a data importante da tradição gaúcha. Bruno Miragem acrescenta:

— A transmissão virtual tem sido uma tônica de diversas propostas de eventos, e, seguramente, alguma interação pela internet vai ter. Se não podemos ter aglomeração física, é interessante fazer algo para manter a tradição.