«

»

jul 26

Resumo 12 – Viagem ao Rio Grande do Sul – Auguste de Saint-Hilaire parte XII

POR JEANDRO GARCIA:

Dezembro de 1820 – Auguste de Saint-Hilaire

Mestiços – Bolicho – vaqueanos

 

Em 18 de dezembro Saint-Hilaire chega a Aldea de Las Víborasm os habitantes vivem na indigência. Em sua maioria índios ou mestiços vindos de outro lugares em busca do fácil sustento, em uma época em que na região havia muito gado. Com o extermínio destes animais hoje se sustentam cortando matos e enviando a Montevidéu e Buenos Aires.
Na aldeia há muitas bodegas, onde deixam metade do que ganham, especialmente em bebidas, são quase como os bolichos do Rio Grande, vende-se de tudo e as mercadorias são distribuídas em prateleiras, paralelo a porta um grande balcão onde os clientes se escorram para beber, enquanto o cavalo pacientemente espera à porta.

Seguindo em Arenal-Chico não encontraram nem gravetos para o fogo, precisando contentarem-se com apenas pão e queijo, no mesmo lugar haviam imensas tropas de jumentos selvagens, mas raras vacas e cavalos. Seu pessoal caçou quatro porcos castanhos, ficando apenas com os filhotes e melhores partes dos adultos. Também haviam muitos cachorros castanhos, onde um de seus serviçais pegou um filhote para criar.

Ao chegar em uma casa a dona logo lhe convidou para montar uma mesa na rua, em que lhe serviu uma grande tigela de carne e como estava com muita fome se rendeu aos hábitos locais, comendo sem garfo, faca, farinha e pão. Em todas as casas o empregado ou escravo que serve a mesa recita a ação de graças em voz alta.

As pessoas do campo levam uma vida selvagem, alheia a moral ou religião. Os padres jesuítas são mais presentes que os brasileiro, mas não se ocupam da instrução dos fiéis, nem mesmo há um catequista nas aldeias.

Define o termo “Vaqueano” como o homem que conhece bem a região, sendo um bom guia, presumindo que vem de vaca este nome, já que este deveria conhecer bem os caminhos que as vacas andam, por tanto sabendo onde encontra-las quando se perde.

No Acampamento del Rincón de las Gallinas, já em 27 de dezembro, se apresenta ao Brigadeiro que é responsável de tropa de guarnição do Uruguai. Este lhe oferece alojamento para todos, carne e coloca seu capataz para cuidar de seus bois e cavalos.

A imagem pode conter: texto

Deixe uma resposta