«

abr 12

Projeto Turismo Criativo Gaúcho

 

 

O Departamento de Divulgação da 1ª RT/RS com o apoio do MTG/RS está lançando o seguinte projeto:

 

1-Identificação do projeto: TURISMO CRIATIVO GAÚCHO

 

– Segmento cultural: Tradicionalismo (danças, poesia, culinária, etc)

– Local: CTGs do RGS

– Período de realização: permanente

 

2 – Proponente: Departamento Divulgação da 1ª RT/RS

 

3 – Outros participantes: 1ª RT/RS, MTG/RS, Convention Bureau, Secretarias de Turismo e Agências de Turismo

 

4 – Equipe principal do projeto: Departamento Cultural das entidades

 

5- Resumo e Justificativa do Projeto:

 

– RESUMO:

Criar nos CTGS um produto turístico, usando o verdadeiro tradicionalismo, que possa ser vendido para as agências de turismo, oportunizando assim que os turistas tenham a oportunidade de conhecer as reais tradições do nosso estado e não o arremedo de tradição, que é oferecido nas churrascarias.

O turismo cultural e criativo nos países desenvolvidos é um importante segmento econômico para gerar renda e desenvolvimento cultural.

Os turistas que visitam o Parque Gaúcho em Gramado poderiam ser estimulados a visitar em Porto Alegre os CTGs, que oportunizarem tal iniciativa, bem como os turistas que realizam convenções, congressos e feiras em Porto Alegre.

 

– JUSTIFICATIVA:

Em tempos de crise econômica e desemprego, esse projeto têm importância em relação ao desenvolvimento cultural do Estado, proporcionando um desenvolvimento na produção e difusão de bens e serviços culturais no RS, bem como  suas características intrínsecas de originalidade e inovação  terão importância para a sociedade, valorizando as questões como memória, patrimônio simbólico, a democratização do acesso à cultura, a integração com outros agentes e criadores, a proximidade com seus públicos, a oferta de alternativas qualificadas de lazer, cumprindo assim com o que está escrito na nossa Carta de Princípios no item de ajudar o Estado na solução de seus problemas, pois é um projeto gerador de empregos.

 

No Turismo Cultural e criativo devemos levar atividades relacionadas à motivação do turista, especificamente a de vivenciar o patrimônio histórico e cultural e determinados eventos culturais, de modo a experienciá-los e preservar a sua integridade. Vivenciar implica, essencialmente, em duas formas de relação do turista com a cultura ou algum aspecto cultural: a primeira refere-se ao conhecimento, aqui entendido como a busca em aprender e entender o objeto da visitação; a segunda corresponde a experiências participativas, contemplativas e de entretenimento, que ocorrem em função do objeto de visitação.

No programa Porto Alegre Turismo Criativo foi dado a largada com uma lista significativa de parceiros atraídos pelo movimento que já é denominado, no mundo, como a “nova geração do Turismo”. São artistas plásticos e visuais, artesãos, dançarinos tradicionalistas de Centros de Tradições Gaúchas (CTG), produtores e instituições culturais que passam a estruturar sua oferta de atividades adequadas ao perfil do turista criativo e, ao mesmo tempo, a ampliar a cadeia produtiva do Turismo na Capital gaúcha.

Assim como é possível ao turista aprender a fazer croissant em oficinas oferecidas em Paris e a descobrir os passos da rumba em aulas de dança em Barcelona, em Porto Alegre ele terá a oportunidade de fazer uma imersão na cultural local aprendendo a preparar churrasco, pratos campeiros e chimarrão, a desvendar a técnica da chula e a dançar fandango.

 

Fonte: http://www2.portoalegre.rs.gov.br/portal_pmpa_novo/default.php?p_noticia=161372&PORTO+ALEGRE+INOVA+NO+PAIS+COM+PROGRAMA+DE+TURISMO+CRIATIVO

 

 

6- Objetivos e Metas:

Objetivos:

– Criar um produto que possa ser vendido para as agências de turismo.

– Divulgação das tradições do RGS.

– Oportunizar aos turistas conhecerem o verdadeiro tradicionalismo.

– Gerar empregos.

– Difundir manifestações culturais de origens tradicionalistas.

 

Metas:

– Em 6 meses criar um produto de turismo cultural em condições de ser oferecido para as agências de turismo.

 

7- Estratégia:

– Reuniões para informar aos CTGS como devem se preparar para terem infraestrutura adequada, pessoal e atrações culturais, artísticas e culinárias para oferecer aos turistas.

– Cursos preparatórios para as entidades saberem como tratarem adequadamente os turistas.

 

-Etapas:

  1. a) Confirmação do interesse por parte das entidades
  2. b) Reuniões
  3. c) Cursos

 

8- Plano Básico de Divulgação, onde?

– Reuniões da 1ª RT/RS e MTG/RS

– Sites MTG/RS, Ecodatradição, 1ª RT/RS

– Fanpage, 1ª RT/RS e MTG/RS

– Site Convention Bureau

– Sites Secretarias Turismo

– Sites Agências de Turismo

 

 

9- Financiamento:

– Custo inicial de preparação à cargo dos CTGs.

 

10 – Definições:

 

O TURISMO CRIATIVO é considerado como uma nova geração de turismo, que implica a participação dos turistas em atividades criativas, com a população local.

 

– Patrimônio histórico e cultural e eventos culturais:

“ Considera-se patrimônio histórico e cultural os bens de natureza material e imaterial que expressam ou revelam a memória e a identidade das populações e comunidades. São bens culturais de valor histórico, artístico, científico, simbólico, passíveis de tornarem-se atrações turísticas: arquivos, edificações, conjuntos urbanísticos, sítios arqueológicos, ruínas, museus e outros espaços destinados à apresentação ou contemplação de bens materiais e imateriais; manifestações como música, gastronomia, artes visuais e cênicas, festas e celebrações. Os eventos culturais englobam as manifestações temporárias, enquadradas ou não na definição de patrimônio, incluindo-se nesta categoria os eventos gastronômicos, religiosos, musicais, de dança, de teatro, de cinema, exposições de arte, de artesanato e outros.

 

– Valorização e promoção dos bens materiais e imateriais da cultura:


A utilização turística dos bens culturais pressupõe sua valorização, promoção e a manutenção de sua dinâmica e permanência no tempo como símbolos de memória e de identidade. Valorizar e promover significa difundir o conhecimento sobre esses bens e facilitar seu acesso e usufruto a moradores e turistas. Significa também
reconhecer a importância da cultura na relação turista e comunidade local, aportando os meios para que tal relação ocorra de forma harmônica e em benefício de ambos
”.

 

Fonte Ministério do Turismo

 

Paulo Guimarães

Colaborador da divulgação da 1ª RT

guimaraes@guimaraes.cim.br

whats: 99987.5880

 

Luiz Henrique Lamaison

Coordenador da 1ª RT

Deixe uma resposta