«

out 31

POETA TENEBRO DOS SANTOS MOURA 

Por: Odilon Garcez Ayres
Arthur Ferreira Filho, Tenebro dos Santos Moura e Tulio Fontoura.

 

 

Poeta, Patrono da Cadeira nº 38 da Academia Passo-Fundense de Letras. Brasileiro, natural de Palmeira das Missões, nascido em 21 de março de 1906 e falecido em Passo Fundo  no dia 29 de agosto de 1994.Filho de Maria Cândida dos Santos Moura e de Vicente Martins Moura Machado. Casado com Maria José Ávila Machado, a qual faleceu com apenas 24 anos em 1941, deixando seis filhos pequenos, Elmo, Gil, Ester,  Rosa Ely, Antônio e Álvaro, os quais foram criados pelo Pai e avós, Orlandina e Álvaro Ávila Machado.  A segunda esposa, de nome Anália, não deixou descendência, oportunidade em  que o mesmo, exercia a profissão de Alfaiate. 

Casado  pela terceira vez com,  Maria de Lourdes Fernandes Moura, aprendeu com Tenebro as lides de costura, que os ajudou a criar os filhos: Maria Cândida, Ângela Maria, Maria Ester e  Maria Isabel, a mais nova, a qual, convive com sua veneranda mãe em Passo Fundo.

Poeta, declamador e payador, autor do Livro de Poesias intitulado, “Querência”, editado em 1986 pela Gráfica Berthier, e reeditado pelo seu neto Eduardo Moura em 1996. Sua primeira poesia, levou o título de “Saudade”, escrita em 1930.

No rol dos seus feitos, conquistas e honrarias,  podemos citar  as seguintes distinções:Serviu a Pátria, no 8º R.I., de Passo Fundo, graduado Reservista de 1ª Categoria, sendo Guerreiro das Revoluções de 1923,  1930 e 1932, como Provisório de Palmeira das Missões. – RS. Professor Municipal em Igrejinha e Coqueiros do Sul – RS.   

Benemérito Diretor da Biblioteca Pública Municipal “Arno Viuniski”de Passo Fundo – RS.

Teatro Amador, “Delorges Caminha” de Passo Fundo – RS., fundado em 16.08.1944, cuja primeira peça de estréia, “Sinha Moça Chorou”, apresentada no Cine Real, aplaudida pelo próprio Delorges Caminha e  sua esposa e Atriz, Henriette Morineau, contou com a participação do Ator Tenebro dos Santos Moura.

Sócio Fundador, em 1952, tendo exercido diversos cargos nas patronagens do Centro de Tradições Gaúchas Lalau Miranda.

Assessor do ex-Prefeito Municipal e Deputado Federal, por Passo Fundo,  Dr. Daniel Dipp. Interventor Presidente da Cooperativa dos Municipalistas de Passo Fundo – CAPASEMU.Presidente e Jurado de diversas Comissões Julgadoras, de Festivais Folclóricos e de Rodeios Internacionais do Rio Grande do Sul.

Por Honra e Méritos, recebeu o Título de “Cidadão Passo-fundense”, outorgado pela Câmara Municipal de Vereadores de Passo Fundo.

No ano de 1966-67, mercê de seu trabalho,  e contribuição cultural, foi eleito e empossado, tipicamente  trajado, na Academia Passo-fundense de Letras, na Gestão do Jornalista Túlio Fontoura, recebendo a cadeira de nº 26, sendo seu Patrono, o Poeta Aureliano de Figueiredo Pinto. 

Como corolário, seus amigos de banco Escolar, cujo Professor era seu pai, Vicente Moura Machado, destacamos seus colegas, parentes  e amigos: Josino Assis de Moura, Ex-Prefeito de Palmeira das Missões e Deputado Estadual pelo Rio Grande do Sul; Leonel de Moura Brizola, Ex-Governador do  Estado do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro; bem como, Júlio Moura Martins, e o Escritor e Folclorista. Mozart Pereira Soares.

Sua filha caçula, Maria Isabel, que o acompanhou,  amorosa, amiga e generosamente,  conduzindo-o pelas mãos,  em seus compromissos sociais, pois no final de sua existência estava literalmente cego, contou-me que ele pretendia ainda, além de muitas poesias, publicar contos curtos regionais  de sua autoria, tendo programado até o nome para “Histórias de Galpão”. 

 

Deixe uma resposta