«

»

maio 08

LAÇADOR PODERÁ MUDAR DE LUGAR

Fonte: Paulo Germano – Coluna Perimetral
Pág. 23 – Zero Hora
Começa uma articulação em Porto Alegre para o Laçador trocar de lugar. Na prefeitura, no governo do Estado, nas equipes de Patrimônio Histórico, todos tem a mesma avaliação: o monumento está escondido. O símbolo da capital sumiu de vista desde que foi transferido para a Avenida dos Estados há 11 anos.
 
– Não há demérito nenhum em reconhecer que algumas experiências, eventualmente, podem dar errado – diz o secretário da Cultura de Porto Alegre, Luciano Alabarse. De fato, o Laçador, no lugar onde está, perdeu sua imponência. Quem passa por ali, se está entrando na cidade, vê a estátua de longe, pequeninha, lá do outro lado da pista. Se está saindo da cidade, vê a estátua de costas. O Laçador não recepciona mais ninguém, não empolga, não chama a atenção.
 
– É a escultura mais representativa do Estado. precisamos propor um novo lugar para ela, onde a população possa ter um contato mais direto com o monumento – opina o coordenador da Memória Cultural do município, Eduardo Hanh, responsável pelo patrimônio da capital.
 
Não falta quem queira patrocinar a transferência. O Sindicato das Indústrias da Construção Civil (Sinduscon), que comanda o projeto de restauração do Laçador – a primeira fase, no ano passado, identificou rachaduras e problemas estruturais na estátua – aceita captar recursos para montar um novo lugar para a estátua.
– A gente tem recebido, desde o início do projeto de restauração, inúmeras manifestações de pessoas dizendo que aquele não é o local mais adequado. E, de fato, não nos parece que seja – diz o vice-presidente do Sinduscon, Zalmir Chwartzmann.
 
E qual seria o local ideal? Eduardo Hahn, coordenador da Memória Cultural, diz que a intenção é consultar a população a partir de algumas opções que a prefeitura apresentaria. Para ele, nas proximidades da Usina do Gasômetro, especialmente agora que a orla do Guaíba ganha novo fôlego, seria o ideal.
 
– Temos que pensar em como devolver a frequência das pessoas ao monumento. Elas precisam parar, admirar, tirar fotos, e isto diminuiu muito nos últimos anos – avalia Luciano Alabarse.
 
– O secretário de Estado da Cultura, Vitor Hugo, não pode atender ontem à coluna porque enfrentou um pequeno problema de saúde. Mas, nos bastidores, tem se mostrado favorável à troca de lugar. Se tudo der certo, a transferência ocorrerá em 2019, quando o Laçador precisará ser removido do local onde está para restauração.

Deixe uma resposta