«

»

jun 02

ERVA-MATE NA MERENDA ESCOLAR

 

VIA  Blog do Léo Ribeiro

 

Por: Gabriel Jacobsen / Jornal ZH

O deputado estadual Gilberto Capoani (MDB) protocolou um projeto de lei que, se for aprovado pela Assembleia Legislativa, fará com que a erva-mate e seus derivados sejam incluídos no cardápio da merenda escolar dos estudantes gaúchos. Na proposta, o deputado argumenta que o consumo da erva “traz muitos benefícios para a saúde, dentre os quais ajuda na saúde cardiovascular, evitando que o colesterol e a gordura se acumulem nas artérias”, acrescentando que “este é um aspecto sumamente importante do consumo desta tradicional bebida”.

Em entrevista à GaúchaZH, o deputado acrescentou o elemento econômico aos argumentos.

— Em primeiro lugar, o consumo da erva-mate estimula esse setor produtivo tão importante da nossa economia. Quanto maior o consumo, melhor para a economia. Outra, está cientificamente comprovado que consumir erva-mate faz bem para a saúde. Estimula a circulação, o cérebro, e estamos apresentando alternativas de consumo — explica Capoani.

Caso se torne lei, caberá à Secretaria de Educação do Estado aplicar a medida. As escolas estaduais gaúchas atendem crianças a partir de seis anos, além de adolescentes e adultos.

O pediatra e nutrólogo José Vicente Noronha Spolidoro avalia que a proposta do deputado tem caráter ideológico e cultural. Para o médico, não há relevância em termos nutricionais.

— Não acho que tenha algo de ruim nisso. Eu entendo que é uma demanda ideológica e cultural, que eu não tenho nada contra, mas do ponto de vista científico e nutricional, acho que temos outras demandas prioritárias em termos de merenda escolar, especialmente trabalhando a redução da oferta calórica e de produtos processados. Esse é o grande problema, é o estímulo à obesidade. Se vai fazer alguma diferença a erva-mate, acho que não — avalia Spolidoro, que também integra a diretoria da Sociedade de Pediatria do Estado e o corpo docente da Escola de Medicina da PUCRS.

Já a nutricionista Lisete Griebeler Souza, mestre em Saúde da Criança e do Adolescente pela UFRGS, é favorável ao projeto. Ela explica que a erva-mate, considerada um alimento funcional, pode ser benéfica no ambiente escolar.

— Primeiro porque tem ação estimulante, por causa da cafeína, que faz bem, estimula a concentração, se não for consumida em excesso. E também porque tem características antioxidantes, que é algo com que devemos nos preocupar desde cedo — aponta Lisete, da Associação Gaúcha de Nutrição (Agan).

Os especialistas chamam atenção, porém, para a forma de consumo da erva-mate. Bebidas consumidas a temperaturas superiores a 65ºC, como o chimarrão, podem contribuir para o desenvolvimento de câncer de esôfago. A nutricionista sugere que o consumo de erva-mate seja feito na forma de chás, bolo e até gelatina.

*Colaborou Guilherme Justino

Deixe uma resposta