«

»

fev 09

Encontro reúne grandes nomes da música gaúcha na sede do MTG

Um fato bastante raro é a reunião de músicos para debater ideias (normalmente em festividades se encontram), mas na noite desta quinta, 8, mais de vinte artistas do regionalismo gaúcho estiveram na sede do MTG para tratar sobre o futuro da musica

Na noite de quinta-feira, 08 de fevereiro, a sede do Movimento Tradicionalista Gaúcho – MTG – na capital, foi palco de um grande encontro para traçar os destinos da música gaúcha. Diversos músicos do cancioneiro regional estiveram reunidos para definir estratégias de preservação para a cultura regional com o apoio da instituição que regula as entidades tradicionalistas no estado. Na ocasião, representantes de rádios web regionais também estiveram presentes. O encontro foi transmitido pela Rádio Campo Afora (http://odilonramospoeta.com) e, por live (ao vivo) no facebook do tradicionalista Rogério Bastos (disponível para quem quiser assistir – uma parcial do Encontro).

A intenção é criar um grupo de debate para transformar a música em ferramenta de preservação da cultura através de um movimento coeso e organizado. Conforme o diretor do grupo Alma Gauderia, Fernando Espíndola, são as causas que agregam seguidores e, por isso a mobilização dos músicos é que pode trazer a representatividade necessária ao segmento. Ele ainda afirmou que o apoio e a parceria com MTG são essenciais para o fortalecimento da música. Assim como o MTG, Fernando é um dos idealizadores desta parceria.

Entre as manifestações, os músicos presentes constataram a necessidade de preservação, já que, impulsionados pelas mídias, os modismos acabam invadindo o estado e ocupando o espaço da música local. Estiveram no local, representantes da música de baile, dos festivais e músicos de invernada.
Ainda segundo o presidente Nairo Callegaro deixamos de estimular as crianças a ouvir nosso cancioneiro. “Nos ensaios nos preocupamos com a dança tradicional, a invernada, mas esquecemos de colocar a música de baile para os pequenos dançarinos”, afirmou. O presidente defende as ações ordenadas para o crescimento da música.

Joca Martins lembrou versos de José Hernandes, em sua obra Martin Fierro, onde os irmãos deveriam ficar juntos ou quem viesse de fora os devorariam. Segundo ele, é possível que não se tenha atingido a maturidade suficiente para entender o real significado e deixar de grenalizar as cosias, puxando um para cada lado. “Temos que parar de gastar energia preocupados com quem nem sabe de nossa existência. Temos que nos preocupar com a musica nova do Ernesto Fagundes, vamos ouvir o novo trabalho do Erlon, do Bonitinho, do Lincon, Cristiano Quevedo. Estamos gastando energia com quem nem tá preocupado conosco“.

Adriano Vedovi, pai da cantora vencedora da “Janela do Galpão” e revelação no site G1 – Repórter Farroupilha, Giovanna Vedovi, manifestou-se, ele que é carioca, dando a sua visão de quem vem de outro estado. “Vocês aqui tem uma cultura maravilhosa, tanto que escolhi viver aqui com minha família. Aprendi a tocar violão para a companhar minha filha. A oferta de boa musica e bons trabalhos talvez seja o real motivo da pouca valorização dos músicos, pois diferente de outros lugares que a mídia tem que inventar sucessos, aqui surgem permanentemente nos festivais” – disse Vedovi.

Ernesto Fagundes lembrou que diversas vezes tentou o diálogo, conversou com dirigentes e que acha importante o MTG usar a musica como ferramenta, pois ele respeita muito a instituição, que sempre vê o Movimento como um “pai” (lembrando os 78 anos de seu pai comparando com os 70 do inicio do tradicionalismo), que não precisa se concordar 100%, mas estar sempre atento à mensagem que ele manda, de amor e respeito. “O MTG tem, pra mim, muito com a mensagem do pai. Não matar os avós para ficar de bem com os netos“. Segundo Fagundes sempre se ficou discutindo o regionalismo, o nativismo, ou a musica de raiz e, enquanto se debatiam e discutiam, não se aproximavam.

Durante o encontro ficou acordado entre os participantes que um grupo de trabalho será fomentado entre representantes da música gaúcha e do MTG para a definição de estratégias e ações que projetarão a música regional a um novo patamar. Interessados em participar podem contatar com Fernando pelo 51 98950 8679. Tanto Ricardo Fontoura, quanto Odilon Ramos e Leôncio Severo colocaram suas mídias a disposição para a divulgação do trabalho.

Estiveram presentes, além do presidente do MTG, Nairo Callegaro, o vice-presidente da Fundação Cultural Gaúcha, Haroldo Teixeira e a Diretora da FCG, Vanessa Welter: Leôncio Severo, Rádio Sul Net, Ricardo Fontoura, Rádio Quero Quero, Odilon Ramos, Rádio Campo a fora, Leandro Berlesi (Beira D’Estrada), Alexandre Brunetto (Y Santa Fé), João Lucas Cirne, Jeandro Garcia (FCG), Henrique Scholz (M’Bororé), Ranieri Moriggi, Carlos Rogério (Cuca), Adriano Vedovi, Dâmaris Agnes Gianni, Regis Maciel, Joca Martins, Marcos (Matizes), Fernando Espíndola (Alma Gaudéria), Ernesto Fagundes, Juliano Trindade (Bonitinho), Lincon Ramos (ex-Campeirismo), Erlon Pericles, Felipe Medeiros, Rafa Martins e Ricardo Santos.

Deixe uma resposta