«

»

jul 18

A bombacha de “dois panos”

Muitos imaginam que a bombacha serrana sempre foi estreita, ou não muito larga, adequada a geografia dos campos dobrados e mais prática para as lides rurais. Mas enganam-se. Lembro-me de minha avó Maria Elisa Fogaça Ribeiro falar das bombachas do seu tempo, principalmente de um tal de Celino Fagundes, onde só enxergava-se a planta do pé. Até mesmo o cano da bota desaparecia ante a Bombacha de Dois Panos, tal qual esta foto dos arquivos pessoais da Professora Dinorá, lá de São Francisco de Paula.
Chamava-se Bombacha de Dois Panos porque um pano só, mesmo infestado (dobrado) não era suficiente para compor uma perna, ou seja, precisavam de dois comprimentos (um para cada perna).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>