Vestimentas Gauchescas

  Aqui artigos sobre indumentárias gauchescas...

 

 

 

DIRETRIZES PARA AS PILCHAS GAÚCHAS

Nunca é demais, falar sobre esse assunto, pois em função dos abusos cometidos contra o bom uso das pilchas gaúchas, nada melhor que seguir as diretrizes do MTG aprovadas  na 67ª Convenção Tradicionalista, realizada em Tramandaí no ano de 2005. Assim todos estarão bem orientados e bem trajados. 

- Clique para  copiar Diretrizes para as pilchas gaúchas do MTG

Aprenda a fazer nó de Lenços

Uma das coisas que o Gaúcho mais preza é a apresentação de uma pilcha bem caprichada. Oficializada como traje de honra do Rio Grande pela lei estadual número 8.813, de 10 de janeiro de 1989, um acessório que não pode estar fora dos padrões na vestimenta típica é o lenço. Além das cores, que podem definir a ideologia política do gaudério, existem várias formas de se fazer o nó. No nó de namorado, por exemplo, quando o peão está sozinho, são deixados os dois lados afastados; quando acompanhado, os dois lados ficam unidos.
Veja nas fotos abaixo como fazer um bom nó no lenço e sair para o bailão pronto para aprontar com as prendas mais lindas do mundo.

Fonte: Blog Roda de Chimarrão e www.sougaucho.com.br

             Multimídia

Nó Farroupilha

Nó bago de touro

Nó de ginete

Nó de lenço simples

Nó de namorado

      

O LENÇO MARAGATO DOS GAÚCHOS BRASILEIROS

Lenço de Pescoço: Bandeira da Tradição dos Gaúchos Brasileiros!

O lenço de pescoço de cor vermelha, usado atualmente pelos gaúchos, já foi utilizado como bandeira política nas Revoluções de 1893 e 1923. Já na Revolução Farroupilha, o lenço que os Farrapos usaram não tinha essa representação, sendo mais uma peça decorativa a ser exposta nos ambientes fechados. O chamado "Tope Nacional", de acordo com o decreto presidencial de 12 de novembro de 1836, assim o regulava: "O Tope Nacional do Estado Rio-Grandense será de forma circular, contendo as três cores Nacionais, dispostas como se segue: uma orla verde de largura de quatro linhas, outra escarlate com igual dimensão, formando a outra um botão de ouro, sem algum valor" (MARIANTE, Helio Moro. Chimangos e Pica-Paus. Porto Alegre: Martins Livreiro Ed., 1987, p. 80). Por isso  não há que se confundir farroupilha com maragato. Já nos dias atuais, o uso do lenço vermelho pelos peões gaúchos geralmente se dá mais pela preferência da tonalidade da cor do que por questões político-filosóficas. Não se pode negar, entretanto, que ainda hoje há muitos gaúchos que se identificam na cor encarnada do lenço que trazem atado no pescoço, por serem simpatizantes dos ideais que fundamentaram a luta dos Maragatos de 1893 e 1923. Nesses casos, o lenço vermelho ainda mantém, nos dias presentes, uma inegável conotação ideológica. Revelando uma linha de pensamento similar àquela dos partidários do antigo Partido Federalista sul-rio-grandense, o lenço colorado segue mantendo, entre muitos gaúchos, posicionamentos sintonizados com os históricos ideais maragatos de antanho. Na maioria dos casos, no entanto, o uso do lenço vermelho é explicado devido ao seu resplendor; ao brilho intenso e vivaz de sua cor rubra. Além disso, o fato de o gaúcho usar camisas em cores claras, por tradição, faz com que o lenço encarnado, assim como os azuis, verdes, amarelos ou carijós, contraste mais com esse tipo de indumentária do que um lenço branco, por exemplo. Este, igualmente, muito usado, seja em decorrência da cor ou da corrente político-filosófica representada pelos chimangos e suas idéias positivistas. De qualquer forma, seja pela tonalidade ou por ideologia, o gaúcho tradicionalista, ao ostentar o seu tradicional lenço de pescoço, deve procurar evitar as distorções histórico-culturais provocadas pelos modismos de ocasião e seus econômicos interesses. O lenço de pescoço tem sido, ao longo de tempo, usado diretamente sobre o pescoço e com as suas pontas dispostas por sobre a camisa. E assim tem sido transmitido, de pai para filho, por tradição. Para atar o lenço gaúcho de pescoço utiliza-se um dos nós tradicionais ou tradicionalista-históricos registrados na cultura gaúcha, conforme a preferência pessoal de cada peão. Os passadores de lenço, por não fazerem parte da história do lenço gaúcho e não terem sido de uso corrente entre os gaúchos brasileiros, não devem ser utilizados na Pilcha Gaúcha, pois não sendo parte da tradição é de serem tidos como uma incoerência cultural. Assim, o uso correto do lenço de pescoço dos Sulistas do Brasil - seja ele maragato, chimango ou de outra cor tradicional -, é ato que valoriza a cultura regional dos habitantes da região Sul-brasileira. Com o uso correto do tradicional lenço gaúcho de pescoço, os tradicionalistas estarão cumprindo os seus papéis de defensores dos autênticos usos e costumes dos Sulistas Brasileiros; de zeladores que cultuam e entregam às novas gerações - de forma preservada, intacta -, o rico patrimônio cultural pertencente a todo o Povo Gaúcho Brasileiro!

Fonte: www.bombachalarga.com.br