Deprecated: mysql_connect(): The mysql extension is deprecated and will be removed in the future: use mysqli or PDO instead in /home/chasquepampeano/public_html/Connections/Connection.php on line 18
Chasque Pampeano:Os Cuidados com a Pilcha Gaścha!...

Visitante Nº:
contador de visitas

  Aqui as śltimas matérias do meio tradicionalista...

 

 

 

25/03/2008

Os Cuidados com a Pilcha Gaścha!
 

É corriqueiro o desconhecimento das regras para o uso da pilcha gaúcha no âmbito do Tradicionalismo organizado, inclusive para os próprios integrantes dos MTGs - Movimentos Tradicionalistas Gaúchos.

O problema se agrava ainda mais nas Academias de Danças independentes, onde alguns professores induzem aos seus formandos o uso de camisas com cores berrantes, fortes; lenços finíssimos, pequenos, pretos e estampados; coletes no estilo country, combinações entre as pilchas do peão e da prenda; vestidos de prenda excessivamente armados; indumentárias com estampas nas costas e com cores de bandeiras; e por aí a fora. Nos CTGs, por total falta de divulgação, também acontecem impropriedades dessa natureza. Novos sócios passam a freqüentar as Entidades Tradicionalistas sem receberem as necessárias informações das respectivas Invernadas Culturais. Por desconhecimento, então, passam a deturpar a pilcha gaúcha tradicional e a induzir ao erro outros sócios recém-chegados ao meio tradicionalista. Camisas de mangas curtas em bailes e solenidades; camisas e  bombachas em cores incompatíveis, fortes; lenços de pescoço em cores e tamanhos não tradicionais; botas brancas; cintas ou rastras argentinas; o uso de chapéu ou boina na cabeça, no interior dos salões e ao dançar; chapéus com abas laterais levantadas e em material inadequado; o uso de facas em bailes; uniformes de equipes campeiras em cores fortes que não representam e não respeitam o histórico e tradicional uso, pelos gaúchos sul-rio-grandenses, das cores sóbrias nas suas roupas

Os modismos, certamente, influenciam muito nessas deturpações verificadas no uso da pilcha gaúcha dos sul-brasileiros. Um jovem, por exemplo, poderá comprar um chapéu “R. Oliver”, desses que os artistas divulgam por contratos com grifes; as suas indumentárias coloridas, cintas, botas, bombachas-calças e até aquelas que são tradicionais da região de Corrientes, na Argentina, ou da tradição do Uruguai, mas não representativas do Rio Grande do Sul. Poderá, como qualquer um, comprar e usar quaisquer dessas peças, desde que o faça fora do Tradicionalismo. O uso de tais modismos, impostos pelo mercado, contraria não só as normas tradicionalistas como também a almejada coerência cultural-regional dos gaúchos sulistas do Brasil, coerência esta buscada pelo Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro. A vontade individual, no Tradicionalismo, deve dar lugar à História regional; aos usos e costumes tradicionais dos sul-brasileiros, por uma questão de adequação e de respeito à rica Tradição Gaúcha Brasileira. É claro que um grande número de artistas - atendendo aos seus próprios interesses e ao das suas gravadoras e grifes -, está a promover nas capas de seus trabalhos algo essencialmente comercial, rentável, mas que nada tem de cultural. À CBTG, aos seus respectivos MTGs e às suas Entidades Tradicionalistas filiadas cabe a urgente e necessária implementação das medidas tradicionalista-educativas aos seus integrantes.  Divulgar nos seus espaços virtuais na Internet, por exemplo, a maneira tradicional e correta de se vestir a pilcha gaúcha é o mínimo que se espera de quem tem o dever de educar, orientar, formar Tradicionalistas.

Omissões como as que cometem os MTGs, ao não disponibilizarem fotos informativas nos seus sítios, mostrando a forma adequada de prendas e peões gaúchos usarem a pilcha tradicional dos gaúchos sul-brasileiros, só contribui para aumentar o desrespeito e os despropósitos cometidos contra o tradicional jeito de vestir dos habitantes do interior sul-brasileiro. Esse descaso dos Órgãos Tradicionalistas, no cumprimento das suas obrigações estatutárias de cuidar e defender aquilo que é tradicional - que integra o grande patrimônio cultural dos Gaúchos Brasileiros -, e zelar pela preservação das autênticas Tradições dos Gaúchos Campeiros do Brasil, não pode mais prosperar. Estes são deveres tradicionalistas, não uma faculdade dos que juraram trabalhar em prol da Tradição Gaúcha. Portanto, que todos os responsáveis cumpram com os seus compromissos, pelo bem maior da preservação e da continuidade da Cultura Regional pertencente a todo o Povo Gaúcho Brasileiro! 

 

 

Fonte: Bombacha Larga

 


Você também pode publicar um artigo de sua autoria no Jornal Virtual Chasque Pampeano. Mande seu texto e/ou foto, Cliques aqui para enviar:CHASQUES

Volta para página inicial