Deprecated: mysql_connect(): The mysql extension is deprecated and will be removed in the future: use mysqli or PDO instead in /home/chasquepampeano/public_html/Connections/Connection.php on line 18
Chasque Pampeano:MÁRIO BARBARÁ por Nico Fagundes...

Visitante Nº:
contador de visitas

  Aqui as últimas matérias do meio tradicionalista...

 

 

 

20/08/2007

MÁRIO BARBARÁ por Nico Fagundes
 
De Mario Barbará Dornelles, diz Chico Saratt, seu conterrâneo: "É sem dúvida alguma o maior compositor de sucessos da música feita no Rio Grande do Sul, cito: Desgarrados, Roda Canto, Colorada, Velhas Brancas, Milongas Tristes, Couro Cru, Era Uma Vez, Chote da Amizade, Chote no Sul, Querência Maior, Gaúcho Bronze, Guaxos, Amanhã Será Setembro, Bolero Lero, entre outras tantas. Pouca gente sabe, mas a grande Elis Regina tinha decorado e no camarim do Gigantinho, na última vez que se apresentou em Porto Alegre, cantou para o Mário, na presença de Airton dos Anjos, o Patinete, a canção Era uma Vez, da parceria Mário e Rillo. O prematuro falecimento da querida artista impediu a gravação, já programada, da referida canção. Imagina o sucesso que teria sido! Outra coisa que não é muito divulgada é o elenco das canções brasileiras que o Mário compôs ao violão. Existia em São Borja um barzinho que se chamava Cascata, que era ponto de reunião obrigatório de compositores, músicos e cantores da época. O Mário era quase um guri e já brilhava intensamente. Não é que fosse um grande violão, mas era cuidadoso na limpeza musical de seus acordes e tudo o que fazia. São Borja tinha, nessa época talvez anterior à Califórnia da Canção, um festival de canções carnavalescas - que existe até hoje. O Mário venceu esse festival inúmeras vezes. Acho que foi então que ele conheceu o Aparício Silva Rillo e foi um casamento perfeito do grande poeta com o grande compositor.

Yamandú Costa tem pela obra do Mário a maior admiração e nos pediu que tratássemos de fazer um DVD com ele e suas canções...".

Mário Barbará é fazendeiro e pelo lado do pai e pelo lado da mãe descende de famílias muito ricas, sendo aparentado muito proximamente de Getúlio Vargas.

Mas é famoso o seu despego aos bens materiais, dedicando-se única e exclusivamente à música. Interrompeu quase formado o curso de Veterinária, para viver abraçado ao violão, à esposa Claudia e à filha Daniela, que acompanham sua carreira. Foi sua mãe, dona Betí, de forte vocação musical, quem lhe deu o primeiro violão. Hoje o Mário tem três CDs gravados e pensa vagamente em gravar um DVD, realizando o sonho de Yamandú Costa e de seus inúmero admiradores. Recentemente ele foi astro de primeira grandeza no circuito universitário que faz uma gira pelo Estado ao lado dos Angüeras, Yamandú Costa, Renato Borghetti e Chico Saratt. Eu tive a oportunidade de vê-los na Universidade de Caxias do Sul, quando gravamos um programa especial que é um dos pontos mais altos nestes 25 anos da história do Galpão Crioulo.

Mário Barbará é Assim. Alto, grande e quieto. Acho que ele gosta que a sua música fale por ele. E como fala bem naquele violão com boca de Salamanca.... presença infaltável no festival da Barranca, na Semana Santa, em São Borja, gosto de vê-lo solitário junto ao rio, olhando as águas e beliscando o violão, sonhando quem sabe o quê.

 

  Fonte: Coluna do Nico Fagundes em ZH -  nico.fagundes@zerohora.com.br  

 


Você também pode publicar um artigo de sua autoria no Jornal Virtual Chasque Pampeano. Mande seu texto e/ou foto, Cliques aqui para enviar:CHASQUES

Volta para página inicial